segunda-feira, 30 de março de 2009

Culto Escolar - A Tourada



Temos que o touro bravo existe para proteger determinados territórios que constituem fontes de vida para certas comunidades. Territórios organizados por definida composição humana, cujas funções dos elementos se supõem em hierarquias claramente organizadas, compostas em harmoniosa articulação. Entre essa gente o touro bravo atinge foros de expressão sagrada, pois que garante a defesa contra a intrusão de malfeitores nos seus territórios, domínios ancestrais das suas vidas.
A sublimação, o ponto alto da exaltação do animal surge nos extremos pendulares das estações do ano com a transumância do gado em busca de zonas climáticas mais adaptáveis ao seu bem estar e onde na época poderão dispor de pastagens adequadas às suas necessidades. Esses extremos, de partida e chegada do gado, nos quais o bovino assume lugar especial, proporcionam a festa em que a exaltação máxima ocorre dentro da arena com a lide dos touros bravos. O cavaleiro, qual S. Jorge sobre cavalo branco saído da luz para o círculo que define a arena – imagem geométrica do caos – que com inteligência de aristocrata deve dominar e levar a besta, a fera, a força bruta desprovida de pensamento e saída da sombra, para o centro onde deixará cair a lança sobre o dorso do animal, metamorfoseando a arena conferindo-lhe finalmente a forma de circunferência, deixando então simbolicamente fixada a ideia do Cosmos, qual mundo devidamente ordenado.

A lide de touros é o tributo regular dos homens ao animal que guarda as fronteiras de um território necessário à existência de uma comunidade humana. O touro, forte, sóbrio e assustador coroa uma espécie que tem oferecido aos homens desde o início os fertilizantes para as culturas dos seus territórios, a força bruta para puxar os arados e arrastar as cargas que excedem as possibilidades humanas, o leite e a carne que possibilitam a reposição obrigatória e regular das proteínas no organismo humano, as peles para os coiros e cabedais destinados à indumentária e outros artefactos úteis à sobrevivência humana, a irradiação de calor aos lares, fonte ancestral de aquecimento das antigas habitações rurais, aliás, fonte arquetípica de calor, logo presente na natividade de Jesus.

A tourada afigura-se racional, necessária e decisiva para a preservação da paisagem portuguesa. O touro português é o guardador das fronteiras entre a civilização do mar e as potências colonizadoras continentais. É o touro o primeiro reduto da defesa da nossa civilização. É entre os cabanos e os gravitos que passa a linha que distingue profundamente a civilização aberta, excêntrica, destemida, liberal, dos portos, ou Portugal e a civilização enclausurada, egocêntrica, receosa, proteccionista dos castelos, ou Castela. A erradicação da tourada, significa o extermínio dos touros, e o extermínio dos touros significa a explosão caótica da Península Hispânica. A paisagem da tradição portuguesa, que exprime a sabedoria de encontro ecuménico, de relações liberais, e de tendência universal no convívio entre homens das mais diversas proveniências metafísicas, intelectuais, genéticas e biológicas, tenderá a desmoronar-se definitivamente.

A tourada é a festa rústica de primeira ordem da Pátria Portuguesa, na qual se exalta o animal que é decisivo para a sobrevivência da nação em que o espírito que dá sentido a Portugal primeiramente encarnou. As ganadarias nacionais são a guarda avançada da civilização talássica e o touro afigura-se como o guarda-mor da paisagem portuguesa lusitânica (se é que Portugal ainda mora aqui).
Texto retirado de um blogue muito bom.

19 comentários:

Lina disse...

Em algumas escolas bem que se treina a tauromaquia!

Maria Eugénia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Afonso Henriques disse...

Desde o meu reinado que Portugal mora aqui. Hipotecou a casa mas continua cá a morar até que voltem os mouros e o expulsem.

Maria Estrela disse...

Meu caro Afonso Henqiques
Soube hoje pelo telejornal que afinal não nasceu em Guimarães.
Agora que regressou, pelos vistos tem andado por aí e movimenta-se com grande maestria no plano tecnológico, diga-me: vai ser cabeça de lista às eleições europeias? Sempre ajudava a expulsar, de vez, os mouros.

Touro Bravo disse...

Venho humildemente agradecer alguns elogios à minha espécie. Especialmente, onde se refere que "O touro, forte, sóbrio e assustador ... tem oferecido aos homens ... os fertilizantes para as culturas dos seus territórios". É com com todo o prazer que fazemos isso para beneficiar a alimentação dos humanos. No entanto, gostaríamos de protestar pelo facto de nos picarem no lombo com as bandarilhas. Gaita, não é possível porem um raio dumas ventosas? Huuummmmmm! Só de falar nisto, estou a ficar irritado! Para terminar, tendo em atenção os grandes serviços que presto à sociedade, acham que também posso ser titular?

Anónimo disse...

E Carneiros ou Sagitários, também podem ser titulares?
Ou, os Virgens?

D.Adão e Titular de Caixa Alta disse...

Permitam-me que defenda a introdução nos programas escolares de " A lide de touros".
A festa brava em todo seu esplendor dentro das escolas, já!
Que, futuramente, possamos mostrar aos nossos governantes, a nossa capacidade de receber com dignidade.
"Ovações" vulgares é coisa de alunos sem imaginação, malcriados.
Que o encerramento do ano zero da avaliação de professores se faça com pompa e circunstância !... uma tourada de gala.
Vamos mostrar ao país que o "Titular" honra a sua classe, assumindo o seu estatuto e cumprindo os seus deveres. V.P.C o nosso grito, "VAMOS PEGÁ-LOS de CARAS", o nosso lema, seja a tourada o símbolo bravo e vivo dos nossos ideais ( tã ta ra rã !!! ..parece que já estou a ouvir...)

Grão-Titular disse...

Muito boa ideia, uma tourada à Antiga Portuguesa para a comemoração do final do ano escolar... Os Os Titulares, os outros e os alunos iam adorar.

Jorge Arriaga disse...

Até já sinto a testosterona a fervilhar..

Anónimo disse...

eSTE BLOG TRANSVESTIU-SE.

Anónimo disse...

travestiu-se

Anónimo disse...

travestiu-se

Anónimo disse...

Amigos peguemos o boi pelos cornos! A Este grupo dew FORÇADOS!, leia-se FORÇADOS, tudo faltqa. Já o disse e volto da sublinhá-lo. APENAS LHES FALTA TUDO - SENTIDO DE HUMOR, INTELIGÊNCIA, ARGÚCIA, CONTEMPORANEIDADE. SÃO EXEMPLO ACABADO DE FUNGOS, BOLORES, BACTÉRIAS E VÍRUS! NEM PERIGOSOS SÃO. APENAS LAMENTÁVEIS!
DESISTAM DESTA COISA. MERECEMOS MELHOR E POR ISSO VAMOS CILINDRAR-VOS!

Grão-Titular disse...

Anónimo das 18.08 a Titularidade é vitalícia...

Anónimo disse...

tal como a sua contínua e persistente estupidez.
disse ser titular...de quê?

Grão-Titular disse...

A Inveja é um sentimento feio...

Anónimo disse...

Então você é que é o professorzeco, dito titular. Ó homem desengane-se.

Grão-Titular disse...

Bilú Bilú...

Anónimo disse...

O seu comentário também é lindo...e enriquecedor. Gostava que os meus filhos fossem seus alunos. A sua escola deve ser linda. E você e os seus colegas também são lindos de certeza.