quinta-feira, 26 de março de 2009

Educação dos Anormais



Sob este nome genérico agrupam-se todas as crianças que, seja no ponto de vista físico, seja no ponto de vista intelectual ou moral, não se acham em condições normais para receber o ensino comum: os cegos, os surdos-mudos, os idiotas, os cretinos, os imbecis, os epilépticos, os histéricos, etc; os atrasados (debilidade mental); os instáveis (incoerência de carácter).
Existem estabelecimentos especiais para a educação dos anormais, sensoriais e médicos. Há alguns anos a esta parte a França preocupa-se em abrir estabelecimentos de ensino para os atrasados e instáveis. São sobretudo estas crianças que, desmoralizadoras e perigosas para os seus companheiros, enchem as aulas, impedem o progresso, esgotam e desanimam os professores.
Na prática são consideradas atrasadas todas as crianças com menos de nove anos que apresentam um atraso geral de instrução de dois anos e todas as crianças acima de nove anos com um atraso de três anos nos seus estudos, salvo atraso devido a causas estranhas ao indivíduo, como, por exemplo, más condições económicas da família.
Para o Dr. Raul Dupuy os atrasados são muitas vezes doentes da nutrição e da circulação. São, ou intoxicados pelos resíduos da alimentação que não eliminam, ou desmoralizados, no sentido que não incorporam os materiais que absorvem. A sua pressão arterial é baixa, a respiração defeituosa, o sangue pobre. Estas imperfeições dão como resultado um desequilíbrio de todas as funções do indivíduo. Um tratamento apropriado pode curar estes estados mórbidos.
É neste sentido que a lei francesa de 15 de Abril, criou para a educação dos atrasados classes de aperfeiçoamento anexas às escolas elementares pública; e escolas autónomas de aperfeiçoamento que compreendem semi-internato e internato.
O fim do ensino dos atrasados é utilitário e educativo. Emprega-se o ensino individualizado, em aulas pouco numerosas. Em Paris há dez classes anexas a diversas escolas. Há-as também nas seguintes cidades: Poitiers, Touts, Bordéus, Montpellier, Lyon, Reims, Ruão, etc.

28 comentários:

Titular de quê? disse...

Excelentes medidas. De resto, a anormalidade é perfeitamente normal.

Maria Estrela disse...

Nesta lusa pátria, para sermos modernos, colocamos tudo no mesmo saco, no mesmo sítio, a (pretensamente)fazer a mesma coisa. É este o entendimento de escola inclusiva.
Escolas industriais fecharam porque era uma segregação fascista; cerci's deixam de receber crianças com limitações específicas porque é segregação.
Nos dias de hoje importa parecer e não ser: importa referir que há inclusão, que estão na escola, que somos modernos e avançados.
As crianças com estas limitações sofrem horrores na escola dita regular porque esta não tem respostas à sua medida, à medida das suas necessidades.
O Renascimento pretendeu abrir-nos às ideias novas da Europa; com o 25 de Abril, séculos após, queríamos abrir-nos à Europa.
Agora é eventualmente o TGV que nos leva para a Europa?


P.S. Como somos titulares temos o direito a bilhete só de ida!

Anónimo disse...

Sem comentários!
Pergunto-me quem são as aberrações que têm a ousadia, a falta de vergonha para escrevem isto! É verdadeiramente indigno.
À própria liberdade de expressão alia-se a noção de civismo e responsabilidade.

Anónimo disse...

Confesso que não entendo o objectivo deste post. E, se com os anteriores me diverti á brava, pela sua fina ironia neste tenho dúvidas.
Poderá V. Ex.cia reverendíssima titular esclarecer?

Grão-Titular disse...

Bom... Vejamos... Este texto é a transcrição integral de um artigo com o mesmo título publicado, em 1913, na revista Educação. Não alterei uma vírgula, apenas suprimi a origem e a data da lei francesa que é de 1909.
Acontece que aquilo que no princípio do Século XX estava claririficado, isto é que o ensino especial, como lhe chamaríamos agora, tem, forçosamente de existeir e de ser tido na sua especificidade. O ensino para anormais é a expressão da época, alguns conceitos estão errados, a terminologia será politicamente incorrecta, mas a preocupação sobre o problema é genuína...
Confronte-se com o que se está a fazer, hoje em dia, em Portugal...

Anónimo disse...

Só o seu título dá-me vontade de rir. Para além de presunçoso é igualmente plagiador. Não saberá V.Exª que seria interessante referenciar a origem desse texto?
ou será que pouco ou nada lhe ensinaram na Escola ou mesmo na Universidade?

Grão-Titular disse...

É a sua opinião, a minha é diferente da sua, é uma Opinião Titular... Se eu tivesse revelado a origem do texto ele não geraria, em alguém que tivesse feito a 4ª classe, o menor impacto. Foi por isso que não citei a fonte, sabe, Nós temos o Direito de o fazer, se no Nosso elevado discernimento assim o entendermos.
Passar bem.

Anónimo disse...

Para além de arrogante, você é mesmo parvo e ignorante

Maria Estrela disse...

O texto aborda a questão de um modo aberrante à luz da actualidade, dos conhecimentos científicos e de uma sociedade que se pretende humanista.
Mas, duma forma séria, devemos reflectir: como estamos a tratar, hoje, em Portugal, as crianças e jovens com problemas?

Grão-Titular disse...

Anónimo muito obrigado, o facto de pensar assim é o melhor elogio que me poderia dar.
Só por acaso, é anormal?

BULIMUNDA disse...

http://bulimunda.wordpress.com/2009/03/26/o-autismo-portugues/

Grão-Titular disse...

Atenção, pelo que sei a Bulimunda é Titular. Pois seja bem vinda a esta sua casa...

Teresa Girona disse...

Adoro anormais com bons corpos

Anónimo disse...

Girona não é nome de Titular. AS titulares são donas, belas, compostas, femininas, sensuais pelo que não são reles nem se expõem assim como se estivessem numa montra.
D. Duarte

Anónimo disse...

Assim aminha digníssima e honrada esposa consorte não pode continuar a escrever neste espaço...
D. Duarte

Anónimo disse...

com sorte a sua, já a dela não foi muita...
D. Duarte? Sem Pio?

Hermenigildo Corte-Real disse...

Gostei da ideia que o motivo era o sangue ser pobre... Talvez tenha o seu fundamento.

Maria Estrela disse...

Eu apreciei particularmente a alegação dos resíduos da alimentação. E ainda não havia coincineradoras, transgénicos e conservantes E...macdonalds, aulas de substituição e estatuto do aluno.

Armando Alfarrobinha disse...

Os ovos são um óptimo alimento e, por natureza, não voam... Quando se vê um ovo a voar é prque foi arremessado.
Aos anormais podem se aplicar gemadas de ovos na cabeça...

Irrelevante disse...

A verdade é politicamente incorrecta cumó caraças... Por cada anónimo zangado com o humor corrosivamente titular deste blog, eu o recomendarei a um cidadão capaz de lhe captar os delicados matizes!

D.Adão de Titular e Caixa Alta disse...

Meus caros, parece-me pouco sensato admitir, por um só instante que seja, que de facto tenha havido alunos que atiraram ovos à Srª Ministra.
A lógica mais elementar leva-nos a concluir que se tal tivesse acontecido esta ordem ter-se-ia erguido , com toda a sua força, e em defesa da honra a dar a vida pela sua mãe criadora, a mãe de todos os titulares. Tal não aconteceu, como se sabe. Portanto,esse suposto acto vil não passa disso mesmo, uma suposição. E passo a explicar : não se esqueçam que o ano lectivo ainda dava os primeiros passos, e que os alunos não tinham tido ainda tempo de atingir as metas cognitivas, preconizadas pelas reformas do sucesso, e muito particularmente na disciplina de Português. Embora os alunos sejam dum modo geral "munta fixes" o certo é que tem "bué" de dificuldades ao nível do vocabulário; na melhor das intenções, um grupo de digníssimos titulares, ainda sem o enquadramento da nossa ordem, achou por bem, como medida de gratidão para com a Srª Ministra que os pariu ( aos titulares ) sugerir aos seus alunos que a ovacionassem. E foi o que aconteceu. Os putos (com bué de deficiências vocabulares) entenderam mal.E logo vieram a terreiro os maledicentes falar de manipulação. Mentira ! O que houve foi excesso de zelo, por má compreensão da mensagem.
Assim, repondo a verdade dos factos e defendendo os nobres valores da nossa titularidade, deve ser dito, que a NOSSA MÃE TITULAR foi vítima de uma merecida ovação.

Grão-Titular disse...

Esta última explicação pode ter fundamento... Esperemos pelas conclusões da Investigação que os Ilustres Inspectores da Inspecção Geral da Educação andam a fazer...

Anónimo disse...

Oh! Grão(zinho) titulareco você não presta mesmo.
Deixe-se de blogs parvos. A inteligência é um dom que não se adquire. É genética!
Proponho-lhe que abra um blog de psicologia clínica ou até mesmo de psiquiatria. Você tem um padecimento grave...muito grave.
ai, ai!

Grão-Titular disse...

A Inveja é um sentimento feio... És anormal?

Anónimo disse...

Agradeço-lhe que mantenha a compostura e decência...Grão Ignorante. Para além de gago verifico que é vulgar

Grão-Titular disse...

As bestas será um tema a abordar brevemente... Fique atento, pois só terá a ganhar...
Cordialmente, Titular,
Grão-Titular

Anónimo disse...

O sengor Grão Ignorante como lhe chamaram, é lindo! Não se deixe apoquentar com comentários maledicentes. É mesmo muito lindo. Tudo muito florido e bem cheiroso. Quem me dera que os meus filhos fossem seus alunos. Deve ser tudo lindo!

Grão-Titular disse...

Não ministro aulas a canídeos, pais ou filhos...